EURATÓRIA

Início » Uncategorized » Versos da panfolia 89

Versos da panfolia 89

A humanidade deslizou por uma encosta

Alçada ao último passo da falésia

A contemplar o abismo e a finitude.

E se não fosse o caso de ser rude

Eu diria nesta fase de tristeza

Informe ser o tempo da firmeza.

E nos mares os barcos não navegam

Encalhados em plástico e palhinhas,

E a maré galga diques sucessivos.

E se ainda por um fio nos vemos vivos

E os nossos filhos pedem por futuro

O fim dos tempos mostra-se maduro.

Uma gaja de fama duvidosa

Alcança um patamar sem paralelo

O rosto branco, fino, frágil, nu.

E se não fosse mestre de kung-fu

Adulada rainha, presidente

Acabaria mito, igual à gente.

Já não há volta a dar

Senão chorar. Já não nos resta nada

Senão medo. E um desistir mais cedo

(gentilmente cedido por A.)


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

<span>%d</span> bloggers like this: